Cirurgia da ATM e Cirurgia Ortognática - Devo fazer? Quanto custa, para o meu caso?

Cirurgia da ATM e Cirurgia Ortognática - Devo fazer? Quanto custa, para o meu caso?

Na última postagem mostrei quais eram as duas patologias da ATM em que há, de fato, uma indicação preferencialmente cirúrgica. Então, dando seguimento à série “Cirurgia e disfunção da ATM“, abordarei desta vez uma das cirurgias que está se tornando cada vez mais conhecida do público: a cirurgia ortognática.

E o que é a cirurgia ortognática?

A cirurgia ortognática é um tipo de cirurgia FACIAL, não da ATM, cujo objetivo é corrigir desarmonias faciais provocadas por discrepância entre a mandíbula e a maxila (o osso que sustenta os dentes de cima), muitas vezes realizadas junto com tratamento ortodôntico, para ajudar a corrigir esteticamente a dentição e o perfil da face.

Por exemplo:  quando uma pessoa possui uma mandíbula muito grande (prognatismo) de modo que os dentes de baixo passam por fora dos de cima ao fechar a boca e não é possível corrigir somente com o uso de aparelhos ortodônticos, uma cirurgia ortognática é feita para recuar a mandíbula ou avançar a maxila e corrigir a “discrepância”.

De todas as cirurgias citadas na postagem anterior , essa é a que não tem a menor indicação para tratar alguma coisa na ATM. Mas por quê? Porque simplesmente não atua nem na causa do problema, nem na conseqüência. Por conta disso, antes de saber o preço da cirurgia ortognática ou quanto custa, procure saber se ela é a ferramenta ideal para tratar o seu caso específico.

Em 2007, Abrahamsson e colaboradores publicaram uma revisão sistemática de 467 artigos científicos, onde apenas 3 destes artigos atendiam todos os critérios científicos e chegaram a conclusão que não há evidência científica suficiente de que uma cirurgia ortognática mude o curso de uma patologia da ATM.

Na prática do dia a dia, eu tenho visto situações em que este tipo de cirurgia foi indicado para casos em que o paciente apresentava, por exemplo, uma osteoatrite (um processo degenerativo inicial da articulação, que brevemente abordarei em outra postagem) nos côndilos da ATM. Ora, segundo os estudos mais recentes (Henry, Paegle entre outros), a osteoatrite e  outros processos degenerativos da ATM estão relacionados às doenças auto-imunes e  infecções bacterianas. Então pergunto: como a cirurgia ortognática melhoraria esta situação?

Não melhoraria. Estas situações exigem uma abordagem específica, com descompressão da ATM, correção do funcionamento articular e tratamento da infecção ou da doença auto-imune associada, como já se sabe a mais de 10 anos…

Por fim, quero deixar claro que a cirurgia ortognática é uma excelente ferramenta, mas apenas quando é feita para as situações em que realmente estão indicadas, que são aquelas relacionadas á correção de discrepâncias faciais principalmente quando combinada com a ortodontia nos casos chamados de “orto-cirúrgico”  e, claro, desde que o paciente NÃO APRESENTE uma patologia da ATM.